Todas nós, mulheres e amantes dos esmaltes, sabemos que usando excessivamente, eles prejudicam as unhas. O que muitas não sabem, é que eles também podem fazer mal à saúde, e o assunto é mais do que sério. Certos esmaltes possuem em sua formulação alguns componentes tóxicos.
Veja quais são e os riscos para a sua saúde:

Tolueno – O que é?

Deriva do benzeno, que pode ser usado como solvente. Alguém já usou cola de sapateiro? Se sim, isso é toluol ou tolueno. No ramo dos cosméticos o Tolueno é especialmente encontrado em esmaltes, pois é um solvente/cola.

Riscos: a inalação em baixos níveis pode causar enjoo, dor de cabeça, vômitos para as pessoas mais sensíveis, tontura, fraqueza e perdas de: memória, apetite, visão e auditiva. Quando inalado por longos períodos, a pessoa corre sérios ricos neurológicos, como perda da consciência, dano cerebral e depressão, podendo levar à morte. Em mulheres grávidas o risco é até maior, podendo comprometer a formação do feto. Imagine esses gases sendo inalados por você enquanto faz as unhas, ou pior, a manicure que passa o dia inteiro trabalhando em contato direto com esse produto? Tolueno é um agente cancerígeno! Tem muita gente que se importa porque tem alergia, mas esse é só um dos problemas!

Dibutilftalato (DBP) – O que é?

É um plastificante utilizado para proporcionar durabilidade ao esmalte. Esse componente químico foi banido de cosméticos, inclusive de esmaltes, em todo o continente europeu.
Até o ano de 2005 utilizava-se o dibutilftalato (DBP), porém, após estudos, foram verificados efeitos maléficos que seriam ocasionados por ele. Passou então a ser usado o Acetil Tributil Citrato (ACTB), que deixa o esmalte mais flexível, menos quebradiço, como o Dibutilftalato, e não oferece riscos à nossa saúde.

Riscos: pode afetar o sistema imunológico, causar choque anafilático, dificuldades respiratórias, pressão baixa e até morte. Os efeitos mais comuns da exposição ao dibutilftalato são: irritação nos olhos, pele e sistema respiratório. O pior de tudo, é que ao lavar as mãos, essa toxina vai sendo retirada do esmalte e acaba entrando em contato com a pele, sendo absorvida. O dibutilftalato é o principal causador de alergia a esmaltes.

Formaldeído (Formol) – O que é?
Está presente na resina do esmalte. A resina, por sua vez, proporciona aderência e durabilidade ao produto. O Formol é um líquido incolor, com cheiro forte e faz mal se ingerido, inalado ou quando entra em contato com a pele. Como é de conhecimento da maioria, o formol é proibido pela ANVISA para alisamento capilar.
Riscos: inúmeros institutos de pesquisa internacionais, como a EPA, a OSHA e a IAC, sustentam que o formol causa inúmeros danos à saúde, inclusive câncer. Sim, o formol é considerado, desde 2004, pela Organização Mundial de Saúde como um agente cancerígeno.
O risco do formol é maior quando da frequência de uso, e ocorre tanto pela inalação dos gases quanto pelo contato com a pele, oferecendo risco tanto para o consumidor como para os profissionais que aplicam produtos que contém essa substância.
Os profissionais de beleza que se submetem a um contato frequente com esta substância correm ainda mais riscos, e já foram registrados casos de câncer de boca, narinas, pulmão, sangue e cabeça relacionados à exposição.
Esmaltes hipoalergênicos 

Nem todos os esmaltes contém essas toxinas. Os hipoalergênicos, em sua maioria, são livres das três substancias prejudiciais à saúde citadas acima. Mas, e o preço? Os esmaltes “hipo” são mais caros, porém, você tem certeza que não trarão malefícios.

Vale salientar que o post é informativo, o que não dispensa a orientação de seu dermatologista. Ok?

Os esmaltes da Colorama e da Argento são todos livre das toxinas. Já os esmaltes da Mavala, OPI, Sally Hansen e Revlon, também são todos hipo, porém, são mais caros por serem importados.

Há algum tempo, marcas nacionais como Risqué, Colorama e Impala lançaram produtos feitos especialmente para pessoas sensíveis e alérgicas.
É bom saber que há muitas marcas que não se dizem hipoalergênicas, mas que também não utilizam estes componentes em suas fórmulas. Os esmaltes da Revlon são um exemplo. Eles são mais caros, mas tem ótima qualidade e grande paleta de cores. Outra marca livre dos “ingredientes do mal” é a Argento; seus esmaltes tem preço camarada e ampla variedade de cores.
Lembre sempre de ler a lista de ingredientes do seu esmalte e no primeiro sinal de irritação, remova-o imediatamente das unhas.
Fonte: Julia Petit