morar no exterior

onze anos, começava um novo capítulo em nossas vidas.

Em 2010, meu marido, que até então, estava trabalhando entre Brasil e Europa, recebeu uma proposta para trabalhar na Itália.

Na época, o que mais pesou na minha decisão, foi deixar meus familiares para viver tão longe, sabendo que, provavelmente, os veria somente uma vez por ano.

Eu tinha expectativas de como seria minha nova vida, sabia que dificuldades viriam, mas queria acompanhar meu marido e, portanto, encarei o desafio.

No primeiro momento, experimentei todo tipo de emoção; da alegria em estar aprendendo coisas novas, à solidão num país completamente diferente, longe de minhas origens. Experimentei um choque cultural após o outro.

Moramos na Itália por quatro anos, até que em 2014, meu marido foi transferido para o Vietnã. Como podem imaginar, um novo desafio, uma nova cultura, uma readaptação.

Nesse post, eu conto tudo sobre como é morar em Ho Chi Minh City. Dá uma conferida!

Moramos no Vietnã por 5 anos e meio. No entanto, as mudanças não pararam por aí…

Em 2020, arrumamos as malas outra vez. Meu marido recebeu uma proposta para trabalhar em Miami, na Flórida, e cá estamos.

Nunca sabemos o que a vida nos reserva, não é mesmo? O importante é sempre confiar no processo.

Até o momento, são onze anos recheados de experiências, surpresas, auto-reflexões e muito mais.

Viver no exterior é uma experiência enriquecedora, porque obriga você a se adaptar à coisas incomuns.

Você se torna independente e está aberto a novos desafios, emocionantes ou aterrorizantes, que você nunca teria encontrado em seu país de origem. E isso é o mais gratificante de todos: a oportunidade de aprender e desenvolver-se como pessoa, porque você descobrirá coisas sobre você, que, talvez, não tenha conhecido antes, como suas crenças, suas paixões, seu caráter.

Através da interação dentro de uma sociedade estrangeira, seus olhos estarão abertos a todo tipo de aspectos da vida que seriam difíceis de aprender em seu país natal.

Agora fica a pergunta: o que os próximos anos reservam pra gente?

Time flies… Eleven years ago, a new chapter began in my life.

In 2010, my husband that was working between our Country (Brazil) and Europe, received a job offer to work in Italy.

At that time, what made my decision most difficult was to leave my family to live so far, knowing that I would probably see them once a year only.

I had many expectations of how my life would be, I knew difficulties would come, but my desire was always to be with my husband. In the beginning, I experienced all kinds of emotions, from joy to learning new things, to loneliness in a completely different country, far from my origins. I experienced one cultural shock after another, literally.

We lived four years in Italy, when in 2014 my husband was transferred to Ho Chi Minh City, Vietnam. As you can imagine, a new challenge, a new culture, a new life.

Here, you may check all about my experience living in Ho Chi Minh City, Vietnam.

We lived in Saigon for a little bit more than 5 years. However a new chapter began in our lives. My husband was transferred again, this time to the USA, Miami, Florida. And here we are since 2020 starts.

It’s 11 years full of experiences, surprises, self-reflections and much more.

Living abroad is an enriching experience because it forces you to adapt to things that are unfamiliar and unusual to you. You become independent and open to new, exciting, or terrifying challenges that you would never have encountered in your home Country. And that is the most rewarding of all: the opportunity to learn and develop as a person, because you will discover things about yourself that you may not have known before; your beliefs, your passions, your character.

Through interacting within a foreign society, your eyes will be open to all sorts of aspects of life that would be difficult to learn in your native country.

Now the question is: what do the next years reserve for us?